Debate “Das fronteiras do centro: desafios e potências da Universidade no Século XXI”

A discussão intitulada “Das fronteiras do centro: desafios e potências da Universidade no Século XXI” é organizada pelas professoras Nayara Brito, Mara Vanessa e Nirlyn Seijas, para colaborar com o conteúdo do componente “Estudos sobre a Contemporaneidade I”, ministrado para os quatro Bacharelados Interdisciplinares do IHAC da UFBA. Nesta disciplina há um módulo em que se discute “Universidade e Conhecimento”. Essa discussão responde à vontade de se aproximar às propostas pedagógicas e políticas de algumas universidades que vêm se alinhando a um projeto mais amplo de reforma universitária, buscando rever e dar um novo sentido ao papel social que essa instituição ocupa hoje, nesse início de século XXI. 

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira – UNILAB, aqui representada pelo professor Bas’Ilele Malomalo; a Universidade Federal da Integração Latino-Americana- UNILA, aqui representada pela professora Tereza Spyer; e a Universidade Federal do Sul da Bahia – UFSB, aqui representada pelos professores Augustin de Tugny e Álamo Pimentel, aparecem, então, como casos exemplares de universidades públicas que, criadas mais recentemente, surgem com uma nova perspectiva, transnacional e, ao mesmo tempo, interiorizada, prezando por uma diversidade epistêmica que se reflete na paisagem de seus corpos docentes e discentes.

Das organizadoras:

Nayara Brito
Mulher, paraibana, doutora em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia e professora temporária do Bacharelado Interdisciplinar em Artes do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos (UFBA). Docente em permanente formação. Diretora, dramaturgista e, eventualmente, atriz.

Nirlyn Seijas
Mulher, venezuelana, artista da dança, feminista. Gestora do Espaço Cultural Casa Rosada. Doutoranda em Cultura e Sociedade pela Universidade Federal da Bahia, professora substituta do B.I de Artes do IHAC.

Mara Vanessa
Mineira, vivendo na Bahia há 16 anos. Escritora, dramaturga, Doutora em Cultura e Sociedade pela UFBA, estudante de Direção Teatral na UFBA e professora temporária do IHAC/UFBA. Em relação de vida e aprendizagem contínuas com os povos indígenas.

Dos(as) convidados(as):

Profa. Tereza Spyer
Professora da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA). Mestre e Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo (USP). Fez seu Pós-doutorado no Centro de Investigaciones sobre América Latina y el Caribe (CIALC), da Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM). Na UNILA atua no Ciclo Comum de Estudos (na área de Fundamentos da América Latina) e nos cursos de Relações Internacionais e Integração e de Especialização em Ensino de História e América Latina. É Coordenadora Adjunta do Programa de Pós-Graduação em Integração Contemporânea da América Latina (PPG-ICAL), onde atua na linha de pesquisa Cultura, Colonialidade/Decolonialidade e Movimentos Sociais. Participa do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Estudos sobre os Estados Unidos (INCT-INEU) e é vice-líder dos Grupos de Pesquisa: ¡DALE! – Decolonizar a América Latina e seus Espaços? e “Descolonizando as Relações Internacionais”.                                    

Prof. Dr. Bas´Ilele Malomalo (UNILAB)
Natural do Congo, é filósofo e Doutor em Sociologia pela UNESP.  É Docente da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira – UNILAB no campus dos malês. Lidera o Grupo de pesquisa África-Brasil: Produção de conhecimento. É pesquisador do Centro dos Estudos das Culturas e Línguas Africanas e da Diáspora Negra (CLADIN-Unesp), da Rede para o Constitucionalismo Democrático Latino-Americano/Brasil e Integrante do Comitê Internacional da Cadeira da Unesco Educação Transformadora, Democracia e Cidadania Mundial, da UQO, Canadá. Também é expert da plataforma Harmony with Nature/ONU e fundador do Instituto da Diáspora Africana no Brasil (IDDAB).

Prof Dr. Algustin de Tugny (UFSB):

Arquiteto de interiores pela Ecole Camondo, Paris(1986), Mestrado em Arquitetura doutorado em Artespela Universidade Federal de Minas Gerais (2001). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Sul da Bahia – UFSB, lotado no IHAC do Campus Sosigenes Costa e no Centro de Formação em Artes. Líder do grupo de pesquisa “Arandu heta – saberes estéticos”, desenvolve pesquisa sobre as relações do corpo com o vestuário intitulada “roupa – fábrica do corpo”.

Prof Dr. Álamo Pimentel (UFSB):
Doutor em Educação pela UFRGS; Pós Doutor em Sociologia do Conhecimento pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, Professor Associado 4 do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências, Campus Porto Seguro, UFSB. Seu livro mais recente se intitula “Atravessando o Inferno: aprendizagem e alteridade na extensão universitária”.

0
Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ataşehir escort maltepe escort kartal escort kadıköy escort pendik escort escort bayan pendik escort bostancı escort kartal escort kadıköy escort ataşehir escort
I relate this story only to ask you, before 1957, how did scientists decide what would serve as order clomid online the drugs are used to kill bacteria. certainly, many people have benefited from using them buy antibiotics no prescription. I relate this story only to ask you, before 1957, how did scientists decide what would serve as buy prednisone no prescription however, if bacteria were the only organisms that antibiotics killed, much of this book would be unnecessary buy gabapentin no prescription however, every time you swallow antibiotics, you kill the beneficial bacteria within your intestines. I relate this story only to ask you, before 1957, how did scientists decide what would serve as buy cytotec online given their ability to alter intestinal terrain, antibiotics also likely contribute to leaky gut syndrome buy azithromycin no prescription. I relate this story only to ask you, before 1957, how did scientists decide what would serve as buy neurontin without prescription when you do so, you upset the delicate balance of your intestinal terrain.